segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Prefeitura de Aracaju cria Comitê Sergipano

Um comitê formado por entidades da sociedade civil, que tem como objetivo lutar contra a aprovação de leis que vão na contramão da manutenção dos direitos adquiridos pela população nos últimos anos. Visando esse objetivo, nesta segunda-feira, 13, durante sessão ordinária da Assembleia Legislativa de Sergipe, foi criado o Comitê Sergipano de Direitos Sociais. 
Para a vice-prefeita e secretária municipal da Assistência Social e Cidadania, Eliane Aquino, a população brasileira deve se empoderar cada vez mais desses espaços para lutar contra possíveis retrocessos que a aprovação de algumas reformas, como a da Previdência, podem trazer.
“Nós estamos vivendo um momento ímpar e muito triste no nosso país. Principalmente no tocante às questões trabalhistas, essa nova reformulação pode trazer muito prejuízo na vida dos cidadãos e das cidadãs do Brasil. Com uma frente dessa sendo mobilizada, com participação da população, do poder público e de várias entidades organizadas, só quem tem a ganhar é o próprio povo. Nós queremos a chamar atenção do Congresso Nacional para que eles escutem os municípios, as pessoas que tanto lutaram e que estão receosos em perder seus direitos”.
Para o coordenador de Equidade da Secretaria Municipal de Assistência Social e Cidadania (Semasc), Paulo Victor, o papel da Prefeitura de Aracaju é apoiar a população na defesa de seus direitos. “Quando a sociedade civil se organiza para defender os direitos da população, cabe a nós, da Prefeitura, que fomos eleitos com uma plataforma democrática, estimular que a sociedade se organize, defenda seus direitos e possa ter na Prefeitura de Aracaju e na diretoria de Direitos Humanos importantes aliados. É a população fazendo a sua parte”.
O presidente da OAB\SE, Henri Clay Andrade, esclarece sobre a importância de um debate como esse ser levado para vários espaços de discussão em Sergipe, e ainda acrescenta que a população precisa avaliar junto ao Governo Federal a relevância de qualquer reforma que coloque em cheque os direitos da população. O presidente da OAB\SE, Henri Clay Andrade, esclarece sobre a importância de um debate como esse ser levado para vários espaços de discussão em Sergipe, e ainda acrescenta que a população precisa avaliar junto ao Governo Federal a relevância de qualquer reforma que coloque em cheque os direitos da população.
“O Comitê irá realizar seminários em todo o estado de Sergipe para fomentar a cultura do debate e dar acesso a informações mais detalhadas sobre o que representam para a vida do povo brasileiro estas reformas que estão tramitando em regime de urgência no Congresso Nacional. As reformas da 

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Dia Nacional da Mamografia

A IMPORTÂNCIA DO EXAME E QUANDO ELE DEVE SER REALIZADO
Dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA) apontam que, no Brasil, as taxas de mortalidade continuam elevadas devido ao diagnóstico tardio

Não é nenhum segredo que amamentação, boa alimentação, prática de exercícios e controle da massa corporal reduz o risco de câncer de mama. Porém, deve-se destacar a importância do autoexame e dos exames de rastreio, conforme orientação médica, a fim de uma possível detecção precoce das alterações mamárias de maior risco.

Apesar de todas as informações, segundo a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 40% das mulheres brasileiras, de 50 a 69 anos de idade, não fazem mamografia, faixa etária prioritária para o exame preventivo. “A prevenção é a melhor forma de lidar com qualquer doença, principalmente, quando falamos do câncer. Se no momento do diagnóstico o tumor tiver menos de 1 centímetro (estágio inicial) e, dependendo do tipo do câncer, as chances de cura chegam a 95%. Portanto, quanto mais cedo o tratamento for iniciado, maiores são as chances de cura”, comenta Renato de Oliveira, ginecologista responsável pela área de reprodução humana da Criogênesis.

O câncer de mama é mais comum a partir dos 50 anos e, à medida que a idade avança, torna-se maior o risco de desenvolver a doença. No entanto, o especialista alerta que mulheres com histórico familiar, independentemente da idade, são mais suscetíveis a desenvolvê-lo. “Mulheres a partir dos 40 anos podem fazer mamografia uma vez ao ano. Porém, o Ministério da Saúde, recomenda, de um modo geral, que esta prática se inicie a partir dos 50 anos. Caso tenham algum parente próximo com câncer de mama, exista algum nódulo ou suspeita de doença, o início da investigação deve ser antecipado. A ultrassonografia pode ser indicada como exame complementar, assim como há indicações específicas para o rastreamento com ressonância nuclear magnética. As mulheres com fatores de risco devem ter atenção especial e não postergar a procura de uma orientação especializada”.

No entanto, ainda que não existam casos na família, a pessoa pode adquirir a doença, sobretudo, se estiverem presentes alguns fatores de risco tais como:obesidade, tabagismo, ingestão regular de álcool, primeira menstruação em uma idade precoce, menopausa após os 50 anos, primeira gravidez após os 30 anos, ausência de gravidez, a própria predisposição genética, entre outros.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

MEC prorrogou prazo de inscrição do Sisu

                            


 
O Ministério da Educação (MEC) prorrogou as inscrições dos estudantes no Sistema de Selação Unificada (Sisu) até as 23h59 do próximo domingo (29). O prazo estava previsto para terminar hoje (27). O ministério decidiu prorrogar após estudantes terem relatado dificuldades para acessar o sistema. O resultado está mantido para segunda-feira (30).

"Em atenção aos estudantes, que manifestaram o pedido, e em virtude das dificuldades de acesso ao Sistema de Seleção Unificada (Sisu) nos primeiros dias, o MEC decidiu prorrogar o prazo de inscrições em 48 horas", diz o comunicado do ministério.

Até as 18h desta quinta-feira (26), foram registrados 2.090.451 inscritos e 4.033.178 inscrições. Cada candidato pode escolher até duas opções de curso universitário.

 Ao todo, são 238.397 vagas em 131 instituições públicas, entre universidades federais e estaduais, institutos federais e instituições estaduais.

O Sisu seleciona os estudantes com base na nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Cabe a cada instituição definir o cálculo que utilizará para a seleção dos novos alunos. Para participar do processo, o estudante não pode ter tirado nota zero na redação do exame. Ao todo, mais de 6,1 milhões fizeram o Enem em 2016.

O período de matrícula será de 3 a 7 de fevereiro. Os candidatos que não forem selecionados na chamada regular poderão participar da lista de espera, entre 30 de janeiro e 10 de fevereiro. Esses candidatos serão convocados a partir do dia 16 de fevereiro, caso haja vagas remanescentes.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Segunda Campanha do Samu foi um sucesso




Após o sucesso nos dois primeiros dias da campanha ‘Sou amigo do Samu, não passo trote’, realizada no Shopping Prêmio, em Nossa Senhora do Socorro, a direção do centro de compras solicitou ao Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192 Sergipe) que fosse realizado mais um dia da ação. Por isso, no último sábado, 14, dia de movimentação intensa no local, as atividades do projeto voltaram a envolver crianças, jovens e adultos.
De acordo com o coordenador do Núcleo de Educação Permanente (NEP/Samu), Ronei Barbosa, o público foi bastante receptivo e participou ativamente de todas as ações educativas propostas pela equipe da campanha. “Tivemos uma interação muito importante para o bom resultado do trabalho, principalmente do público infantil, que se envolveu nos atendimentos simulados, na apresentação da peça teatral e fizeram muitas perguntas sobre o tema”, avaliou.
Rosângela Almeida levou os filhos para participar das atividades e contou que ensina a eles a importância do trabalho do Samu. “Lá em casa todos sabem que não se deve passar trote. Já expliquei como funciona o serviço e quando se pode ligar para pedir ajuda. Eles sabem que se fizerem o contrário é castigo na certa”, revelou, enquanto a filha, Sarah Sofia de Almeida Ribeiro, assistia atentamente ao espetáculo do Grupo Cones de Teatro.
Ações de rotina
Ações educativas fazem parte da rotina do Samu 192 Sergipe e, segundo Ronei Barbosa, todas as atividades propostas pelo NEP visam à melhoria da assistência prestada aos usuários do serviço, seja através da qualificação técnica dos profissionais ou por meio de práticas de prevenção e promoção da saúde.
“No caso dos trotes, acreditamos que a partir do momento que a população conhece o trabalho desenvolvido pelo Samu 192 Sergipe, passando a entender o quanto ele é importante para comunidade, há um processo de concretização que naturalmente implica na diminuição dos índices de trotes; principalmente em relação às crianças, pois elas estão na fase de formação da personalidade”, ponderou.
Na última semana, 1085 ocorrências foram atendidas pelo Samu, entre assistências realizadas com Unidades de Suporte Básico (USB), Unidades de Suporte Avançado (USA), Motolâncias e orientações médicas passadas pelo telefone. Já os trotes atingiram a marca de 1.272 ligações.
“Quem pratica as falsas chamadas, além de correr o risco de responder processo judicial, deve pagar uma multa de R$ 500,00 e terá o CPF bloqueado de 30 a 90 dias sem poder habilitar um novo número”, alertou Ronei Barbosa.
Outras campanhas
No mês de janeiro, além das atividades da campanha contra os trotes, o Núcleo de Educação Permanente também realizada o projeto ‘Sou amigo do Samu, não uso celular ao volante’, com o objetivo de conscientizar os motoristas sobre dos perigos de dirigir e falar ao celular. No próximo mês, o tema das ações será ‘Seja amigo do Samu – se dirigir não beba’. “Temos três comandos educativos pré-agendados: dia 22 na Avenida Melício Machado, dia 23 na entrada da cidade e dia 24 na Ponte Aracaju/Barra dos Coqueiros.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Demanda Transfusional estimula doaçoes no Hemose



Diariamente centenas de pacientes necessitam de transfusão sanguínea em seus tratamentos, uma realidade que está impulsionando o serviço de doação de sangue realizado no Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose). Somente na primeira semana de janeiro, o Hemocentro cadastrou 472 voluntários; destes, cerca de 60% compareceu à unidade para doar e ajudar algum paciente da rede Hospitalar do Estado.

Micaella Lima, 20 anos, é um deles. A jovem contou que já doou sangue uma vez, mas retornou ao hemocentro para atender ao pedido de uma amiga. “Na verdade a gente tem que fazer o bem sem olhar a quem, por isso vim. Todo ser humano deveria ser um doador de sangue”, declarou.
A assistente social Evila Tarliane Oliveira, de 29 anos, e a educadora física Emilly Teixeira Moura, 23 anos, relataram que são doadoras regulares. “Já trabalhei no Gaac e conheço a necessidade de alguns assistidos, sei o quanto é importante esse ato. Estamos aqui para ajudar Rosielen de Jesus”, informou Evila.

De acordo com informação da gerente de Coleta, a enfermeira Florita Moura Aquino, o sangue só pode ser produzido no corpo humano, por isso que a conscientização sobre a importância da doação deve atingir todos os públicos, a exemplo dos voluntários regulares ao serviço e os cidadãos que doam pela primeira vez para ajudar. Ela ressalta que a manutenção dos estoques de todos os tipos sanguíneos, A, O, B e Ab, positivo e negativo, depende da frequência de comparecimento dos voluntários. “Eles estão ajudando a salvar vidas”, destacou a gerente.

Segundo a enfermeira, a depender do diagnóstico, o paciente irá fazer uso de sangue em seu tratamento terapêutico pelo resto da vida. “Os pacientes com anemia falciforme, talassemia e mielodisplasia fazem parte desse grupo que regularmente precisa de transfusão de algum componente sanguíneo, como plaquetas, hemácias e plasma”, detalhou Florita.  O Hemose fornece bolsas de sangue para pacientes que necessitam de transfusão em 27 unidades hospitalares e maternidades do Estado e rede privada conveniada, além de atender pacientes portadores de coagulopatias e hemoglobinopatias (enfermidades no sangue). Com apenas uma bolsa de sangue é possível salvar de três até quatro vidas, já que o sangue doado é dividido em diferentes componentes.

Doação de sangue -  Estão aptos a doar sangue candidatos em bom estado de saúde, idade entre 16 anos completos e 69 anos, peso acima de 50 Kg. Menor de 18 anos somente com termo de autorização dos pais ou responsável legal. É necessário portar documento de identidade original, com foto, válido em todo território nacional. Mais detalhes sobre os serviços através dos telefones (79) 3225-8000, 3225-8039 e 3259-3174.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Reajuste de aposentados do INSS será de 6,58%

Saiu o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que vai reajustar os benefícios de dez milhões de aposentados do INSS que ganham acima do salário mínimo. O aumento, retroativo a 1 de janeiro de 2017, será de 6,58% (variação inflacionária de janeiro a dezembro do ano passado), bem abaixo dos 7,5% previstos na proposta de Orçamento da União, enviada em agosto pelo governo, e também menor do que a inflação acumulada em 12 meses até novembro, que era de 7,38%.

O percentual ficou abaixo do previsto porque, segundo o IBGE, responsável pela apuração do indicador, a alta do custo de vida veio caindo nos últimos meses de 2016.
Ao longo do dia, o INSS deverá divulgar uma tabela escalonada de reajustes para quem só começou a receber benefício ao longo de 2016 e, portanto, não tem direito ao índice cheio de 6,58%, porque não sofreu as perdas inflacionárias do ano todo.

Vale lembrar que os 22,3 milhões de beneficiários do INSS que recebem um salário mínimo já tiveram seu aumento anunciado em dezembro. O piso subirá de R$ 880 para R$ 937, também a partir de 1 de janeiro de 2017. Os benefícios reajustados começam a ser pagos nos cinco últimos dias de janeiro, para quem recebe o piso. O calendário se estenderá até os cinco primeiros de fevereiro, para os que ganham mais. As datas variam de acordo com o número final do cartão de pagamento (último algarismo antes do traço).

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Emprego na construção tem queda de 14,5%




O nível de emprego na construção civil registrou queda de 14,5% no acumulado de 12 meses até novembro, gerando um saldo negativo de 437 mil postos de trabalho. Os dados foram divulgados pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP) em parceria com a Fundação Getulio Vargas (FGV).


Entre janeiro e novembro de 2016, houve corte de 461.849 vagas em todo o país. Desconsiderando efeitos sazonais, foram fechadas 26.917 vagas em novembro. O nível de emprego caiu 2,20% em novembro na comparação com outubro, a 26ª queda consecutiva.
A deterioração do mercado de trabalho afetou quase todas as regiões do Brasil, sendo que os piores resultados foram anotados no Norte (-3,71%) e no Centro-Oeste (-2,67%).


Quedas acentuadas - Por segmento, preparação de terreno e infraestrutura observaram as maiores quedas em novembro, de 3,73% e 3,31%, respectivamente. No acumulado do ano, contra o mesmo período do ano anterior, o segmento imobiliário teve a maior queda (-17,66%), seguido por preparação de terreno (-14,77%).
O agravamento do desemprego na construção, com o fechamento de mais de 58 mil postos de trabalho, já era esperado pelo setor, considerando a queda contínua no volume de obras. Segundo o sindicato, o volume de novas obras deve continuar reduzido nos próximos meses, o que poderia ser amenizado por medidas emergenciais e mais reformas microeconômicas.